Seis em cada 10 famílias migrantes em Espanha perderam emprego

Seis em cada 10 famílias migrantes em Espanha perderam emprego

Maio 26, 2020

A organização humanitária Save the Children alertou hoje que seis em cada 10 famílias migrantes em Espanha perderam temporariamente o emprego devido à crise do coronavírus e que sete em cada 10 sofreram um corte nos salários.

O estudo está enquadrado na campanha #QueNadieQuedeAtrás (Ninguém fica para trás, em castelhano), que a ONG lançou para denunciar “a falta de compromisso político” com as famílias em situação de pobreza durante a pandemia e exigir dos governos e partidos políticos uma maior proteção aos grupos mais vulneráveis da população.

A sondagem on-line foi realizada a mais de 1.800 crianças e suas famílias em toda a Espanha para descobrir a sua situação económica e perceber como o encerramento das escolas durante o confinamento as afetou.

Os resultados mostram que mais de dois terços (66%) das famílias de origem migrante estão em situação vulnerável, o que representa o dobro da generalidade das famílias espanholas.

As famílias com pais de origem migrante foram severamente afetadas pela crise, já que se dedicavam sobretudo a atividades pouco qualificadas, informais, a empregos temporários ou a subemprego.